100 anos do Derby Paulista – Dados, curiosidades, confrontos históricos e o início de 2017

No ano de 2017, o Dérbi (ou também chamado de Derby) Paulista completa 100 anos de existência. Um dos maiores clássicos do Brasil, e também, do mundo, transforma a cidade de São Paulo. Em seu centenário, existiram centenas de jogos decisivos para o cenário estadual, nacional e continental. Neste texto, iremos trazer os dois jogos mais marcantes em edições do Campeonato Paulista, já que os rivais se enfrentam nesta quarta-feira em Itaquera.

Logotipo que será usada por ambas as equipes em suas camisas no confronto desta quarta. (Foto:Reprodução)


Jogos Marcantes

Palmeiras 4 x 0 Corinthians – Final – Campeonato Paulista 1993

O dia 12 de Junho de 1993, jamais sairá da história da torcida alviverde. O Palmeiras amargurava um longo jejum de 16 anos sem ganhar um título, e coube a aquela tarde decidir se a fila acabava ali. O Corinthians havia vencido a primeira partida por 1×0 (gol de Viola, que imitou um porco na comemoração). Porém, no segundo jogo que contou com mais de 104 mil pagantes no estádio do Morumbi, reservava um grande enredo a ser escrito. Empurrado pela torcida, necessitando reverter a vantagem do rival, o Alviverde demorou 36 minutos para abrir o placar com gol do meio-campista Zinho. No início do segundo tempo, Edmundo saiu cara a cara com Ronaldo e foi derrubado. O goleiro do Corinthians foi expulso assim como o zagueiro Tonhão, por supostamente ter dado uma cabeçada no arqueiro corintiano. Evair cobrou muito bem e ampliou a vantagem que fora aumentada pouco tempo depois por Edilson. Na prorrogação, mesmo com as pernas pesadas, o Verdão guerreou e com mais um gol de pênalti de Evair, sagrou-se campeão e pode tirar o grito de “É campeão!” da garganta.

Evair comemorando o gol do título Alviverde em 1993. (Foto:Reprodução)

 

Corinthians 2 x 2 Palmeiras – Final – Campeonato Paulista 1999

O dia era 20 de Junho de 1999. Dia do maior jogo da história do maior clássico da Terra(pelo menos para os corintianos). Era a revanche contra o time da Barra Funda após a eliminação na Libertadores.
Logo no primeiro jogo, um 3 a 0 contra os reservas palmeirenses. No duelo de volta, clima de festa para saudar o encontro entre o maior campeão paulista e o atual campeão continental. No começo da partida, o zagueiro Cléber foi expulso após entrada criminosa em Marcelinho. Quando o jogo já se encaminhava para o final com 2 a 2 no placar, Felipão e seus jogadores não aguentaram Edilson e suas embaixadas e partiram pra cima do corintiano com agressões. A confusão foi tanta que restou ao juiz encerrar o jogo antes dos 90 minutos e sagrar o Corinthians campeão.

Edilson fazendo embaixadinhas que provocaram tumulto no fim da partida em 1999. (Foto: Reprodução)


Curiosidades

Rivais se unem em motivação política e realizam o “Jogo Vermelho”

Era 13 de outubro de 1945 foi realizada uma partida que obteve um contexto muito peculiar no cenário futebolístico. A menção a cor vermelha foi ao Comunismo, já que a partida teve toda sua bilheteria destinada ao MUT (Movimento Unificador dos Trabalhadores). Aldo Rebelo, autor do livro “O Jogo Vermelho”, conta que funcionários da Federação Paulista de Futebol e das indústrias têxtil e da construção civil, além de mulheres que atuavam no Partido Comunista, trabalharam para que o jogo ocorresse como um festejo pela queda do regime nazista e pela redemocratização do Brasil, foi o término do Estado Novo de Getúlio Vargas.

Torcida Palmeirense adota mascote após xingamento da torcida Corintiana.

Na década de 1960, uma fatalidade fez com que a rivalidade entre Palmeiras e Corinthians aumentasse de maneira considerável. Após a equipe Alvinegra perder dois atletas em um acidente de trânsito na cidade de Sorocaba. Com isso, o Timão pediu a inscrição de dois novos atletas, só que uma única equipe se opôs, e foi o Palmeiras. O presidente do Corinthians na época chamou os dirigentes do Verdão de “porcos“. O insulto do presidente rival virou insulto, apelido dado pela torcida do Corinthians, e anos depois, virou mascote da equipe Alviverde.


Estatísticas do Confronto:


O Clássico de 2017:

O ano de 2017 começou de forma bem distinta para os rivais. Enquanto os Palestrinos, apesar da troca no comando técnico, chegam com o dever de se manter no topo, após um título de Brasileirão incontestável, o Timão chega rondado de incógnitas, principalmente pela qualidade duvidosa do elenco e pelo seu treinador, Carille.

Para o primeiro Derby da temporada, o Palmeiras contará com a presença de alguns dos seus principais reforços, como Guerra e Raphael Veiga, que têm se destacado pela movimentação, se juntando a Dudu na armação de jogadas, atacando de forma aguda, característica que parece ser a que Eduardo Baptista prezará no seu estilo de jogo. O jogador, em tese, mais importante no esquema de Cuca e que seria tratado especialmente no esquema do novo técnico, Moisés, por sua vez será baixa por 6 meses, após romper os ligamentos do joelho.

Dudu marcou contra o São Bernardo e Felipe Melo comemorou de forma exaltada (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)

No setor defensivo, o pitbull Felipe Melo tem demonstrado solidez na proteção da zaga, jogando sem Tchê Tchê, principal peça do setor intermediário do campo em 2016. A zaga contará com a volta do colombiano Mina, considerado por muitos o melhor da posição que atua no Brasil, o que deverá fazer com que o Palmeiras tenha maior solidez nas bolas aéreas.

O Corinthians por sua vez, chega para a partida com grandes duvidas em torno do desenvolvimento da equipe na temporada. Enquanto a defesa tem demonstrado qualidade, tanto no posicionamento, quanto em técnica, com Balbuena e Fagner iniciando muito bem o ano, contando com a proteção de Gabriel, o ataque tem se mostrado uma negação.

Gabriel veio do Palmeiras e é principal peça do meio-campo do Corinthians (Foto: Agência Corinthians)

Sem encontrar um ataque ideal, Carille vem mudando constantemente seus jogadores ofensivos. Diversas peças como Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto, Léo Jabá, Romero e Marlone foram testada para as pontas de seu 4-1-4-1, para a partida, os dois últimos são os prováveis titulares.

Os diferenciais corinthianoa vem da base: Guilherme Arana e Maycon, recém-chegados da Seleção Sub-20, já terão a oportunidade de atuarem em um grande jogo como titulares, oportunidade rara para os meninos do Terrão, que não costumam ter muitas chances entre os profissionais.

O jogo em si, como todos os Derby’s, terá mais uma história diferente para se contar, principalmente pela vontade e rivalidade que cercam essa batalha, no entanto, é fato que o Palmeiras chega como favorito para a disputa do clássico. Mas em um duelo com tanto equilíbrio e tradição, nenhum vencedor é inesperado e a única certeza é de mais um grande jogo de futebol.


Colaboraram: Victor Savani e Yuri Laurindo

Comentários

Comentários

Matheus Moura

Estudante de Jornalismo, fanático por Futebol e apaixonado pelo Corinthians.