2016 (infelizmente) começa agora!

Os primeiros meses da temporada 2016 para o Cruzeiro podem ser definidos basicamente com uma palavra: desastre. Depois de um ótimo fim de temporada em 2015, que provou de certa forma uma qualidade que não se imaginava que o elenco tinha, uma série de erros amadores da diretoria colocaram nosso 2016 em apuros.

O ano foi iniciado logo após o anúncio da saída de Mano Menezes para China, ainda durante o Campeonato Brasileiro. A efetivação de Deivid foi o primeiro erro da gestão. Apesar de ter uma história com o Cruzeiro, era um profissional sem o mínimo de experiência necessária para assumir o comando de um time com a grandeza do Maior de Minas.

A efetivação de Deivid também foi motivada por pedido dos jogadores, o que no mínimo causa estranheza para quem não tem acesso direto ao dia-a-dia do clube, ainda mais após a demissão do técnico e uma análise fria do seu trabalho. Seria Deivid um técnico com um perfil muito “liberal” e isso teria prejudicado seu trabalho? Enfim.

Outro erro da diretoria celeste está relacionado as contratações. Como dito, o fim de 2015 evidenciou a qualidade do elenco, mas ainda precisávamos de muitos reforços. Durante a pré-temporada, o Dr. Gilvan anunciou algumas contratações, mas infelizmente nenhuma de peso, nenhuma nas posições em que mais precisávamos (Marcelo Oliveira pediu um meia para a Libertadores de 2015 e esperamos por ele até hoje) e cada vez mais o ano foi passando.

Deivid com um elenco que não se diferenciou tanto do ano passado conseguiu grandes resultados, mas nunca conseguiu uma atuação convincente do time, onde um padrão de jogo decente fosse apresentado. Ai entra outro erro da diretoria, a não demissão do técnico antes do clássico contra o Atlético e assim após a vitória tiveram uma espécie de obrigação de mantê-lo no cargo.

Nesse meio tempo fracassamos na Copa da Primeira Liga e logo após fomos eliminados do Campeonato Mineiro na semifinal, não disputando pela segunda vez seguida a final do estadual. Finalmente, Deivid demitido.

Depois da demissão, mais um erro que pode ser vital para o futuro da temporada foi cometido pelo comando de futebol do Cruzeiro. Após a perda de 5 meses de trabalho, em uma pré-temporada de luxo que os clubes brasileiros possuem, o clube ainda demorou 15 dias para o anúncio do novo técnico, mais tempo perdido.

O Brasileirão já começou, perdemos o primeiro jogo para o Coritiba no Couro Pereira, ainda sem um treinador no nosso comando. Mas agora é a hora da verdade, 2016 começa agora.

Com o anúncio de Paulo Bento, o Cruzeiro inicia um projeto que deveria ter sido prioridade já em janeiro. O português possui experiência suficiente para assumir o clube, sem sentir a pressão da torcida e conseguir implantar um novo ideal de trabalho, seja em aspectos disciplinares ou táticos.

Com o gajo chegando, a diretoria será cobrada ainda mais por reforços, já que um treinador de alto nível na Europa com certeza também fará essas cobranças á eles. Infelizmente, com a abertura da janela somente no dia 20/06, a busca pelo pentacampeonato brasileiro será difícil, inclusive pelo tempo de adaptação que Paulo Bento deve ter.

Creio que com a chegada de reforços, como Rafael Sóbis e Maxwell, nomes especulados na imprensa, o elenco do Cruzeiro terá um salto de qualidade e de experiência, aliados com a filosofia de trabalho do novo comandante português, podem nos trazer grandes alegrias, talvez já nessa temporada.

Nas atuais circunstâncias talvez um torneio de mata-mata seja a maior meta na temporada. Caso o grupo se una em prol do objetivo, os reforços cheguem e consigam dar um bom retorno a curto prazo, a Copa do Brasil é nossa necessidade e realidade. Bom, esperemos.

Por: Yuri Laurindo

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta