Fim de tabu, fim de jejum.

Após 9 jogos sem vencer, 6 apenas no Brasileirão, o Furacão entrava pressionado diante do Vasco em Volta Redonda em jogo válido pela rodada 17 do Campeonato Brasileiro. Pressionado pois o time era o primeiro a integrar a temida zona do rebaixamento. O jogo marcava a estreia do chileno Esteban Pavez com a camisa do Atlético, além da ausência de Douglas Coutinho finalmente, o mesmo que está fazendo hora-extra no Furacão, contra um Vasco cheio de guris da sua base.

A partida se iniciou com muita vontade de jogar de ambos os lados, o Atlético cometendo muitas faltas bobas, o Vasco menos, porém nas que cometia, eram com mais violência, tanto que rapidamente já estava com 3 jogadores amarelados.

O primeiro tempo seguiu sendo muito truncado, jogo preso, o Vasco tendo mais posse de bola, porém sem efetividade alguma. Já o Atlético, tentando encaixar um contra-ataque nos erros do time cruz-maltino. Inclusive, quase chegamos num contra-ataque puxado por Nikão, onde Ribamar passava livre ao seu lado, porém o passe não saiu da maneira ideal.

A etapa inicial terminou assim, com os cariocas chegando mais, porém definindo mal. Já o Atlético com seu jogo retrancado, ia se portando bem. Inclusive, essa é a maneira que devemos nos portar nos jogos, o jogo de posse de bola não é a cara do Furacão, ficar rodando a área adversária, criando apenas jogadas fracas. Parece que nessa partida o “distribuidor de coletes” percebeu que devemos jogar por uma bola.

Voltamos para o segundo tempo sem mudanças, porém com a marcação mais próxima do campo do Vasco, e antes que eu me esqueça, Matheus Rossetto, que sempre critiquei, sendo impecável no meio de campo, desarmando tudo a que tenha direito. Logo aos 16 minutos, numa roubada de bola na meia cancha, o mesmo Rossetto foi lançado e cruzou na área, a bola sobrou para o nosso novo camisa 9, Ribamar, que ajeitou para a canhota e estufou as redes de Martín Silva.

O Furacão ia fazendo história, rabiscando sua primeira vitória sobre o Vasco em terras cariocas. Após o gol, notou-se a postura do time, muito semelhante a que nos levou para disputar a Taça Libertadores. Um time que jogava fechado, por uma bola.

A equipe carioca foi pra cima, mas ainda tinha dificuldades. O Atlético mexeu, entraram Lucas Fernandes e Felipe Gedoz dando mais velocidade aos contra-ataques do time. O Vasco seguiu tentando o gol, mas a defesa Rubro-Negra estava muito bem postada.

Ederson entrou pelo Furacão, para segurar a bola no ataque e quem sabe deixar o dele. Mas o final do jogo foi dramático. Faltando 20 segundos para o fim da partida, o Vasco chegou num chute cruzado que passou sob Weverton e bateu na trave, no rebote a bola explodiu no travessão, após isso o jogo acabou.

Uma partida com a cara do Atlético Paranaense, muita vontade e uma quantia bem grande de sorte, essa que sempre nos acompanha nos momentos decisivos.

Vencemos, deixamos a zona, e de quebra, jogamos nosso rival para dormir lá até a próxima rodada. Agora o próximo compromisso é quinta-feira às 19:30, na Arena da Baixada diante do Avaí. Jogo de 6 pontos, precisamos vencer para deixar de vez a “zona maldita” da tabela.

Comentários

Comentários