O dia em que Danilo brilhou e os guerreiros de Condá passaram pelo Libertad

Mais uma quinta-feira de futebol movimentava a cidade de Chapecó, mas dessa vez tudo parecia diferente, o sentimento era outro. Os guerreiros que levaram o nome de uma cidade pequena de Santa Catarina para o Brasil inteiro, agora enfrentavam pela primeira vez uma equipe estrangeira dentro de casa, em jogo válido pela volta das Oitavas de Final da Copa Sul-Americana.

Clima no estádio estava absurdo (Foto: Diário Catarinense)

O adversário não era qualquer um, era o Libertad, tradicional equipe paraguaia que já havia conquistado o campeonato local por 18 vezes, mas quem disse que eles seriam páreos para o Arco e Flechas do nosso tão querido Índio Condá. O jogo de ida, no Estádio Nicolás Leoz, em Assunção, havia terminado empatado por 1 a 1, em jogo que a Chape foi castigada por um gol no final, após jogar com um a menos durante todo o jogo. Quem diria que o roteiro daquele dia 01/10/2015 seria praticamente igual ao de uma semana antes…

A partida foi complicada, pegada, como todo jogo de torneio continental. O Libertad saiu na frente logo aos 4 minutos do primeiro tempo, após Mencia empurrar a bola pra dentro, escorando a cobrança de escanteio. Os brasileiros não desanimaram, poucos minutos depois, Cléber Santana bateu falta com maestria e Túlio de Melo pegou de primeira, no cantinho do goleiro. GOLAÇO! O Verdão do Oeste estava de volta para o confronto.

Jogadores comemoram golaço de Túlio de Melo que empatou a partida (Foto: Gazeta Press)

Depois do gol, apesar da empolgação da torcida, a Chapecoense não conseguiu dominar o jogo e os paraguaios quase marcaram por duas vezes, com uma bola na trave e obrigando o goleiro Danilo a fazer um milagre. No segundo tempo, novamente a equipe brasileira foi prejudicada com uma expulsão, anotada devido ao carrinho duro de Wanderson em González. Guto Ferreira decretou e a equipe deveria buscar segurar o resultado. O anjo Danilo fez de tudo, trabalhou muito e finalmente, iríamos para os pênaltis.

Bruno Rangel abriu a disputa nas penalidades e marcou. Rodrigo López, do Libertad após isso caminhou para a bola e nos pés dele estaria a felicidade de toda uma cidade. O atacante bateu pra fora e explosão em Chapecó foi imediata. Neto, Cléber Santana e Gil também converteram para a Chape, enquanto González, Balbuena e Aquino marcaram para o Libertad. A classificação estava entregue aos pés de Tiago Luís e assim se fez. Uma pancada no canto direito do goleiro, sem chances de defesa, havia acontecido. SIM! Havia acontecido. Eles tinham conseguido, todo o trabalho valeu a pena, eles levaram o nome da Chape à toda a América do Sul pela primeira, de muitas vezes.
Veja os melhores momentos da partida:

Comentários

Comentários