Os azuis de Liverpool estão de volta?

Tendo feito uma das melhores janelas desse verão europeu, o Everton vem forte para essa temporada. Wayne Rooney está de volta ao clube em que foi revelado e está querendo recuperar o seu futebol que estava em baixa. O Shrek traz toda sua experiência para um time que conta com tantos jogadores jovens e talentosos. Dois deles sendo as novas contratações, Sandro Ramírez e Jordan Pickford.

O jovem goleiro inglês de apenas 23 anos fez uma boa temporada pelo Sunderland mesmo com o rebaixamento do time para a Championship. Terminou 16/17 impressionando na Euro sub-21 e tem um belo futuro pela frente com a camisa do clube.

O goleiro defendeu um pênalti que impediu uma derrota da Inglaterra na competição.

Já o atacante espanhol foi o principal jogador do Málaga na La Liga. Teve passagens pela base do clube castelhano Las Palmas e logo despertou interesse dos culés. Acabou sendo contratado em 2009, sendo promovido ao time principal do Barcelona em 2014. Sandro não teve muitas chances para impressionar e no final do seu contrato em 2016, ele se juntou ao Málaga. Mais veloz, ele tende a ser um pouco diferente em comparação ao que o belga Lukaku, vendido ao Manchester United, fazia no Everton. Não é a referência fixa no ataque, mas tem faro de gol. Tem grande facilidade em passar pelos zagueiros e finalizar, de quebra, é um bom cobrador de faltas e conta com grande visão nas jogadas, gerando assistências para seus companheiros.

Sandro foi o artilheiro do time espanhol na temporada 16/17.

Além do Sandro e Pickford, o Everton contratou o meio-campista holandês Davy Klaassen, que foi um dos destaques do Ajax na temporada passada, sendo até então, o capitão do clube de Amsterdam. O meia de apenas 24 anos tem tudo para ser titular dos Toffes e pode ser fundamental no esquema tático do técnico Ronald Koeman, que gosta de trabalhar com jogadores mais versáteis. O camisa 20 tem como principal característica ser o motor do time e distribuir o jogo. Suas habilidades defensivas são indispensáveis, alto e focado, ele consegue dominar o meio-campo sem muitas dificuldades.

O holandês fez 16 gols e deu 11 assistências pelo Ajax na última temporada.

O grande reforço para o sistema defensivo foi o zagueiro Michael Keane, ex-Burnley. O zagueiro inglês começou sua carreira na base do Manchester United, mas não chegou a jogar uma partida completa com os red devils e rodou pela Inglaterra emprestado. Em 2015, depois de um tempo de empréstimo no Burnley, o clube adquiriu os direitos do inglês e desde então ele vinha sendo o destaque do time. Logo, atraiu interesses de vários clubes ingleses e o Everton foi o escolhido. Em um possível esquema com 3 zagueiros, que Koeman usou em algumas oportunidades na última temporada, ele encaixaria perfeitamente.

Keane chega na cidade de Liverpool para resolver o problema do sistema defensivo azul.

Cuco Martina, ex-Southampton, é um lateral pouco conhecido no futebol europeu mas chega para reforçar o lado direito. O time inglês contava apenas com o jovem Mason Holgate na posição, que por muitas vezes é usado de central, já que o irlandês Séamus Coleman se lesionou em uma partida pelo Grupo D das Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo e só deve voltar ao time em 2018.

Os torcedores não estão convencidos que o jogador de 27 anos seja uma boa opção, chegando a questionar os diretores do clube e o técnico por não utilizar o jovem Jonjoe Kenny que faz parte do time sub-23 dos blues. A primeira partida oficial da temporada contra o Ruzomberok da Eslováquia, pela Europa League, foi o começo para Martina mostrar que pode ser útil ao time no caminhar da temporada. Koeman já está familiarizado com as habilidades de Cuco, tendo treinado o jogador por uma temporada no Southampton antes de se mudar para Liverpool, há pouco mais de um ano. O Everton venceu no Goodison Park lotado por 1-0 e a defesa foi muito bem. O clean sheet foi o ponto positivo do jogo e, que mesmo desempenhando um bom papel defensivo, Martina não impressionou ofensivamente. Apesar dos pontos francos, o holandês/curaçauense deve evoluir aos poucos e será um bom reserva quando Coleman se recuperar e voltar a titularidade.

O lateral se mostrou fraco no controle e na posse da bola.

Por fim, o Everton anunciou a sua última grande contratação da temporada, Gylfi Sigurdsson. O islandês de 27 anos vinha sendo o principal jogador do Swansea City nas últimas temporadas e também da sua seleção. Muito valorizado dentro do futebol inglês, o camisa 18 custou cerca de 45 milhões de libras aos cofres dos Toffes. Após grande interesse de Chelsea e Tottenham na promessa Ross Barkley, o presidente Bill Kenwright não exitou e foi atrás de outro meio campista com características parecidas. O jovem inglês é mais técnico e criativo, um clássico camisa 10, o armador do time, mas não tem tanta qualidade para finalização. Já Gylfi tem características mais ofensivas, não é um exímio finalizador, mas sabe o que fazer quando está na área e inclusive fora dela, além de corresponder mais taticamente dentro do campo e ser um excelente cobrador de faltas. No final das contas, acabou não tendo acordo entre Barkley e os clubes interessados e ele acabou ficando em Liverpool. Tendo os dois meias disponíveis, o Everton terá mais opções ofensivas, contando com Sigurdsson mais avançado perto dos atacantes, fazendo com que o time tenha mais qualidade no atributo ataque.

Sigurdsson tem tudo para ajudar o Everton a chegar longe na Europa League.

O Everton é um clube ambicioso, tem um elenco recheado e um técnico convencido do que quer. O grande ponto é como colocar todos eles em campo e consequentemente fazer um bom jogo coletivo. A química entre os jogadores claramente não está aflorada, mas isso será aprimorado com o tempo e a tática pode distinguir-se durante a temporada. As peças são excelentes e prometem.

 

Comentários

Comentários