Real Madrid e Liverpool têm na Champions League a chance de mudar a chave na temporada

Vivendo momentos distintos na temporada 20/21, Real Madrid e Liverpool irão protagonizar um dos confrontos mais equilibrados e esperados dessas quartas de final da Liga dos Campeões. A primeira parte do confronto acontece em Madrid, no estádio Alfredo Di Stéfano, nesta terça-feira às 16h no horário de Brasília.

O Real Madrid vive seu melhor momento na temporada, com uma sequência de onze jogos sem perder, sendo eles nove vitórias e dois empates. Antes disso, a equipe oscilou bastante durante a temporada, com o trabalho de Zidane prestes a sucumbir na fase de grupos da Champions League.

As esperanças do time de Zizou estão depositadas em seu destaque individual na temporada: Karim Benzema. O francês vem sendo peça cada vez mais vital pelo lado blanco. Não só por seus gols marcados, mas também na construção de jogadas no ultimo setor de ataque, sendo notória a dificuldade no setor quando KBNueve está de fora.

Além do atacante, Courtois, Casemiro, Kroos e Luka Modric têm sido os jogadores mais consistentes da equipe. O goleiro belga vem fazendo intervenções excelentes em momentos cruciais das partidas — em algumas, até assegurando as famosas clean sheets.

A trinca de meio campistas vem exibindo magníficas atuações no decorrer da temporada, lembrando inclusive o auge do trio com a camisa do Real. Atualmente, Casemiro também virou uma importante peça ofensiva, dando assistências e anotando gols importantíssimos para o time de Madrid.

A trinca tricampeã voltou a ser determinante para que o Madrid vença jogos na atual temporada. (Reprodução/Instagram)

Já os Reds vivem um momento bastante conturbado na Premier League. No momento, brigam por uma vaga no G4 da competição e acumulam uma sequência de 8 jogos sem vencer em Anfield.

Na Champions League, entretanto, o cenário é só de alegrias para os comandados de Jürgen Klopp. Com uma campanha sem sustos na fase de grupos e uma classificação tranquila nas oitavas de final contra o RB Leipzig, o Liverpool busca a mudança de chave na temporada.

O elenco, que sofreu muito com surtos de Covid-19 e lesões que impactaram fortemente no plantel, segue com diversos desfalques para o restante de 2020/2021. Os zagueiros Van Dijk e Joe Gomez não voltam até o término das competições que o Liverpool tem para disputar. Além disso, as improvisações se tornaram cada dia mais recorrentes, como por exemplo a dos meio campistas Henderson e Fabinho atuando fora de suas posições originais.

Individualmente, o Liverpool deposita suas fichas na excelente temporada de Mohamed Salah — vice-artilheiro da Premier League com 18 gols. O português Diogo Jota vive seu melhor momento na temporada e também é uma esperança para os ingleses, sobretudo depois da grande atuação diante do Arsenal, quando o atacante anotou dois gols na vitória do Liverpool em Londres.

Contratado para a atual temporada, Diogo Jota tem 12 gols e uma assistência na atual temporada em apenas 22 jogos. (Reprodução/Getty)

Jogos Históricos

Por mais que as equipes tenham se enfrentado poucas vezes na Champions League, Real Madrid e Liverpool já protagonizaram duas finais da competição, sendo uma com o final feliz pra cada.

Em 1981, o Liverpool de Kenny Dalglish, Ray Clemence, Greame Souness e companhia que havia eliminado o Bayern de Munique pelo critério do gol fora de casa, buscava seu terceiro título enfrentando o maior campeão, Real Madrid.

A partida foi bastante equilibrada, sem muitas chances de gol, onde muitas pessoas que cobriram a partida classificaram o duelo como uma grande batalha tática. Mas o Liverpool que utilizava de maneira muito eficiente seus alas, puniu o time espanhol já aos 36′ do segundo tempo com o gol anotado pelo bom lateral esquerdo Alan Kennedy. A partir disso, o Real Madrid se desencontrou no jogo e se não fosse o goleiro Agustín Rodriguez o estrago poderia ser maior.

Com isso o Liverpool foi o último clube a derrotar o Real Madrid em uma final de UEFA Champions League.

O Liverpool ganhava vários títulos na era de ouro de sua história. (Reprodução/Getty)

Porém em 2018 existiu a revanche. Em Kiev, o Real Madrid que viria de um bi campeonato consecutivo da competição encarava a sensação Liverpool, que além de ter feito uma magnífica campanha no decorrer da competição vinha embalado por uma temporada fantástica de seu trio de ataque.

O primeiro tempo da final na Ucrânia foi protagonizado pela lesão de Mohamed Salah. Em uma dividida com Sergio Ramos, o egípcio levou a pior e teve uma lesão no ombro, dando lugar ao meio campista inglês Lallana, aos 30′ do primeiro tempo.

Já no segundo tempo, as coisas mudaram completamente e tivemos dois protagonistas: um lembrado de maneira positiva e outro de maneira negativa. Aos 6′ do segundo tempo, o goleiro Karius foi sair jogando com as mãos e a bola bateu no pé de Benzema e foi morrer no fundo da rede.

O Liverpool não demorou muito para reagir, quatro minutos depois, Sadio Mané aproveitou o desvio de Lovren no escanteio e tirou de Navas para empatar a final. Mas a estrela de Gareth Bale brilhou. Entrando no lugar de Isco, o galês anotou um dos gols mais bonitos em uma final de Champions League. Após receber o cruzamento de Marcelo, o camisa onze do Real Madrid emendou uma linda bicicleta, indefensável para Karius.

Gareth Bale saiu do banco para garantir o título madridista na temporada 2018/19. (Reprodução/Getty)

Karius que novamente voltaria a falhar, dessa vez na reta final do jogo. Aos 38′ da etapa final, Bale chutou de muito longe e o goleiro alemão que tentou encaixar a bola, viu ela entrar e acabar de uma vez por todas com as chances do Liverpool de empatar a partida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *